PDF Imprimir E-mail

Histórico

 

História

Há mais de 50 anos a Escola Agrotécnica Federal de São João Evangelista vem desempenhando um relevante papel no desenvolvimento da região em que está inserida, através do investimento na Educação Profissional e também na Educação Básica. A Escola exerce uma expressiva influência nas regiões do Vale do Rio Doce, Vale do Mucuri e Vale do Jequitinhonha, além do Norte de Minas Gerais, Sul da Bahia e outras regiões do Estado. Nos últimos anos concentrou suas atenções nos municípios de Cantagalo, São Pedro do Suaçuí, São José do Jacuri, Coluna, Paulistas, Rio Vermelho, Virginópolis, Guanhães, Peçanha e outros.

 

Com o objetivo primordial de ampliar o desempenho da Escola como agente de desenvolvimento regional foi criada a FUNOPI - Fundação Oswaldo Pimenta de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão.

 

 

Por que criar uma Fundação?

O Instituto Federal de Minas Gerais Campus São João Evangelista é vinculado ao Governo Federal através do Ministério da Educação. Portanto está subordinado a todas as exigências legais do funcionamento da máquina pública. Este processo de vínculo muitas vezes gera limitações inerentes que impedem uma atuação mais dinâmica e eficaz da Escola além dos seus muros. A criação de uma Fundação de direito privado traz novas perspectivas de atuação na região, principalmente o investimento em políticas sociais, pois a Fundação se torna um agente facilitador das ações e empreendimentos da Escola fora do âmbito governamental, sem portanto, atuar de forma ilegal. Antes pelo contrário, todo o trabalho da Fundação é ostensivamente fiscalizado e deve ser feito dentro de regras próprias que regem o terceiro setor.

 

Desta forma, o Campus através da Fundação ampliará sua atuação na Educação Básica e no desenvolvimento social, devido a maior agilidade, eficiência que poderá realizar parcerias, adquirir verbas extra-orçamentárias e como conseqüência obterá resultados mais eficientes nas ações realizadas.

 

Enfim, criar a Fundação de apoio às suas atividades é o melhor caminho para consolidar o verdadeiro papel de agente de desenvolvimento regional proposto pelo Campus São João Evangelista.

 

 

Como foi criada a FUNOPI?

A FUNOPI foi criada no dia 26 de maio de 2000, instituída pela Escola Agrotécnica Federal de São João Evangelista, por iniciativa do então Diretor Geral, Prof. Marcus Eduardo Duarte Magalhães, com o objetivo de apoiar sua atividade de ensino, pesquisa e extensão, promovendo o desenvolvimento regional através de captação de recursos diversos, parcerias, verbas extra-orçamentarias, com agilidade e eficiência imprescindíveis para a implementação de projetos diversos na área de Educação Básica e desenvolvimento social.

 

Foi elaborado um estatuto com base na legislação e normas do terceiro setor além de consultas a outros estatutos de fundações que estavam funcionando. Todo o funcionamento da FUNOPI é regido por este estatuto, que foi aprovado em uma reunião geral e em seguida encaminhado à Promotoria da cidade para parecer e aprovação. Os passos seguintes foram os mesmos de criação de uma empresa: registro em cartório do estatuto e ata de constituição, registro no CNPJ, registro na prefeitura, reconhecimento de utilidade pública, cadastro no SICAF, etc.

 

 

Como foi escolhido o nome da FUNOPI?

A escolha do nome do Sr. Oswaldo Pimenta teve como intenção homenagear uma das personalidades mais marcantes da vida política de São João Evangelista e um fiel defensor da criação do Colégio Agrícola na cidade que é hoje a nossa Escola. Sendo um técnico agrícola formado na primeira turma do Colégio Agrícola de Viçosa, o Sr. Oswaldo Pimenta sempre acreditou no potencial agropecuário da nossa região. Apesar de todas as controvérsias que o desenrolar dos fatos geram, o objetivo principal para construir uma escola agrícola na cidade, foi sustentado pela crença do Sr. Oswaldo Pimenta e vários outros políticos contemporâneos, de que o caminho seguro para o crescimento regional passava pelo imprescíndivel investimento na educação e em novas tecnologias agrícolas, mesmo porque a região sempre manteve uma tradição agrícola. Este objetivo, ou seja, incrementar o progresso da região através da Escola, é o mesmo motivo que levou à criação da FUNOPI, portanto estamos homenageando o idealizador, Sr. Oswaldo Pimenta e dando continuidade ao seu ideal.

 

 

Há mais de 50 anos a Escola Agrotécnica Federal de São João Evangelista vem desempenhando um relevante papel no desenvolvimento da região em que está inserida, através do investimento na Educação Profissional e também na Educação Básica. A Escola exerce uma expressiva influência nas regiões do Vale do Rio Doce, Vale do Mucuri e Vale do Jequitinhonha, além do Norte de Minas Gerais, Sul da Bahia e outras regiões do Estado. Nos últimos anos concentrou suas atenções nos municípios de Cantagalo, São Pedro do Suaçuí, São José do Jacuri, Coluna, Paulistas, Rio Vermelho, Virginópolis, Guanhães, Peçanha e outros.

Com o objetivo primordial de ampliar o desempenho da Escola como agente de desenvolvimento regional foi criada a FUNOPI - Fundação Oswaldo Pimenta de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão.

Por que criar uma Fundação?

A Escola Agrotécnica Federal de São João Evangelista é atualmente uma autarquia vinculada ao Governo Federal através do Ministério da Educação. Portanto está subordinada a todas as exigências legais do funcionamento da máquina pública. Este processo de vínculo muitas vezes gera limitações inerentes que impedem uma atuação mais dinâmica e eficaz da Escola além dos seus muros. A criação de uma Fundação de direito privado traz novas perspectivas de atuação na região, principalmente o investimento em políticas sociais, pois a Fundação se torna um agente facilitador das ações e empreendimentos da Escola fora do âmbito governamental, sem portanto, atuar de forma ilegal. Antes pelo contrário, todo o trabalho da Fundação é ostensivamente fiscalizado e deve ser feito dentro de regras próprias que regem o terceiro setor.

Desta forma, a Escola através da Fundação ampliará sua atuação na Educação Básica e no desenvolvimento social, devido a maior agilidade, eficiência que poderá realizar parcerias, adquirir verbas extra-orçamentárias e como conseqüência obterá resultados mais eficientes nas ações realizadas.

Enfim, criar a Fundação de apoio às suas atividades é o melhor caminho para consolidar o verdadeiro papel de agente de desenvolvimento regional proposto pela Escola Agrotécnica Federal de São João Evangelista

Como foi criada a FUNOPI?

A FUNOPI foi criada no dia 26 de maio de 2000, instituída pela Escola Agrotécnica Federal de São João Evangelista, por iniciativa do então Diretor Geral, Prof. Marcus Eduardo Duarte Magalhães, com o objetivo de apoiar sua atividade de ensino, pesquisa e extensão, promovendo o desenvolvimento regional através de captação de recursos diversos, parcerias, verbas extra-orçamentarias, com agilidade e eficiência imprescindíveis para a implementação de projetos diversos na área de Educação Básica e desenvolvimento social.
Foi elaborado um estatuto com base na legislação e normas do terceiro setor além de consultas a outros estatutos de fundações que estavam funcionando. Todo o funcionamento da FUNOPI é regido por este estatuto, que foi aprovado em uma reunião geral e em seguida encaminhado à Promotoria da cidade para parecer e aprovação. Os passos seguintes foram os mesmos de criação de uma empresa: registro em cartório do estatuto e ata de constituição, registro no CNPJ, registro na prefeitura, reconhecimento de utilidade pública, cadastro no SICAF, etc.

Como foi escolhido o nome da FUNOPI?

A escolha do nome do Sr. Oswaldo Pimenta teve como intenção homenagear uma das personalidades mais marcantes da vida política de São João Evangelista e um fiel defensor da criação do Colégio Agrícola na cidade que é hoje a nossa Escola. Sendo um técnico agrícola formado na primeira turma do Colégio Agrícola de Viçosa, o Sr. Oswaldo Pimenta sempre acreditou no potencial agropecuário da nossa região. Apesar de todas as controvérsias que o desenrolar dos fatos geram, o objetivo principal para construir uma escola agrícola na cidade, foi sustentado pela crença do Sr. Oswaldo Pimenta e vários outros políticos contemporâneos, de que o caminho seguro para o crescimento regional passava pelo imprescíndivel investimento na educação e em novas tecnologias agrícolas, mesmo porque a região sempre manteve uma tradição agrícola. Este objetivo, ou seja, incrementar o progresso da região através da Escola, é o mesmo motivo que levou à criação da FUNOPI, portanto estamos homenageando o idealizador, Sr. Oswaldo Pimenta e dando continuidade ao seu ideal.

A FUNOPI tem por objetivos principais e permanentes:

1- Promover prestação de serviços de extensão, pesquisa e consultoria, nas áreas técnicas, culturais, científicas e administrativas, junto a instituições e órgãos públicos ou privados, nacionais e internacionais.
2- Promover o atendimento nas diferentes áreas de atuação das pessoas físicas, jurídicas, instituidoras e mantenedoras, visando aprimorar e facilitar o desenvolvimento de suas atividades.
3- Promover o treinamento e capacitação de pessoal, permitindo, no âmbito acadêmico, o atendimento dos objetivos a que se propõe.
4- Colaborar com entidades que realizam trabalhos na sua linha de atuação:
a) em sua atuação, a Fundação assegurará apoio, a iniciativas ao desenvolvimento sócio-econômico, cultural e tecnológico da região e do país, junto a entidades com fins comuns ou semelhantes;
b) a atuação, nesse sentido, poderá ser direta ou através de convênios, ajustes, contratos o acordos;
c) a Fundação fará a divulgação e promoção mediante o apoio a projetos individuais (com destinação de verbas) ou coletivos, criados de acordo com os objetivos e políticas priorizadas, sendo realizada no Brasil ou no exterior;
5- Conceder bolsas de estudo e pesquisa para Professores, Servidos Tecnico-Administrativos e Alunos, no País e no Exterior.
6- Promover cursos, seminários, conferências, simpósios e congressos objetivando a uma melhor capacitação técnica da comunidade.
7- Promover e estimular a Educação para o Trabalho e Cidadania.
8- Exercer e apoiar atividades de desenvolvimento tecnológico, científico e cultural.
9- Estimular e promover projetos de pesquisa e desenvolvimento, bem como, incrementar ações junto a órgãos financiadores e de fomento.
10- Apoiar atividades voltadas para o desenvolvimento agrícola, industrial e de serviços, colaborando no desenvolvimento de produtos e processos para a melhoria da quantidade e da produtividade.
11- Criar e desenvolver centro de desenvolvimento de tecnologias em parceria com instituições públicas ou privadas.
12- Apoiar atividades desportivas e sócio-culturais, das quais a Escola Agrotécnica Federal de São João Evangelista esteja participando ou promovendo.
13- Prestar assistência sócio-econômica aos alunos carentes da Escola Agrotécnica Federal de São João Evangelista.
14- Promover a produção e a disseminação de informações, bem como a geração e a difusão de tecnologias.

Parágrafo Único - Os objetivos indicados neste artigo serão alcançados diretamente ou em convênios, ajustes e contratos com entidades nacionais e estrangeiras, obedecidas as normas estruturais e regimentais, bem como a legislação que trata das Relações Exteriores.

ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELA FUNOPI

1- Participação no PEQ 2001(Plano Estadual de Qualificação Profissional), a fundação estará atuando como entidade executora indicada pelas comissões municipais de emprego da região(São João Evangelista, São Pedro do Suaçúi, Peçanha, São José do Jacuri, Peçanha, Coluna, Rio Vermelho, Materlândia, Sabinópolis, Paulistas, Guanhães, Virginopolis, Divinolandia e Santa Maria do Suaçui, em todas estas cidades foi feita a divulgação da Funopi com o objetivo de divulgar os cursos que a fundação poderá executar na área de educação básica;
2- Realização do I Fórum de Desenvolvimento Regional com objetivo de conhecer as necessidades e principalmente as dificuldades da região, viabilizando projetos de desenvolvimento social juntamente com a SETASCAD;
3- Promoção do 1º Fórum de Turismo Rural em parceria com a Associação dos Amigos da Pedra da Cafurina de Guanhães;
4- Realização dos principais eventos comemorativos dos 50 anos da EAFSJE-MG;
5- Coordenação do Processo de Seleção 2002, inclusive disponibilizando a inscrição on line, numa inédita na história da Escola;
6- Outras ações menores de âmbito interno da Escola sempre apoiando e procurando viabilizar as ações da EAFSJE-MG como agente de desenvolvimento regional.